quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

PARA O TERCEIRO ANO DO NATÁLIO - TURMA 3101

CRIATURINHAS, BASTA IMPRIMIR E LEVAR PARA A PRÓXIMA AULA. LÁ RESPONDEREMOS, E FAREI UNS COMENTARIOZINHOS...

01 - Assinale a alternativa em que NADA funciona como sujeito:
a) Nada vi.
b) Nada somos.
c) Nada me perturba.
d) Nada quer.


02 - Nas orações a seguir:
I - As chuvas abundantes, pródigas, violentas, fortes anunciaram o verão.
II - Eu e você vamos juntos.
III - Vendeu-se a pá.
O sujeito é, respectivamente:
a) composto, simples, indeterminado;
b) composto, composto, indeterminado;
c) simples, simples, oculto;
d) simples, composto, “a pá”;
e) composto, simples, “ a pá”.

03 - Assinale a alternativa em que há sujeito indeterminado.
a) Amanheceu radiante o dia de hoje.
b) No inverno anoitece muito cedo.
c) Vive-se bem com Deus.
d) Conta-se que vai haver uma festa.
e) Contam-se muitas coisas de você.

04 - Em todas as alternativas, o termo em negrito exerce a função de sujeito, exceto em:
a) Quem sabe de que será capaz a mulher de teu sobrinho?
b) Raramente se entrevê o céu nesse aglomerado de edifícios.
c) Amanheceu um dia lindo e, por isso, todos correram à piscina.
d) Era somente uma velha, jogada num catre preto de solteiro.

05 - Na frase “Precisa-se de operários”, a partícula se é índice de indeterminação do sujeito porque o verbo está na terceira pessoa do singular.
a) asserção: verdadeira; razão: verdadeira (a razão explica corretamente a asserção).
b) asserção: verdadeira; razão: verdadeira (mas a razão não explica corretamente a asserção).
c) asserção: verdadeira; razão: falsa.
d) asserção: falsa; razão: verdadeira.
e) asserção: falsa; razão: falsa.

06 - “Ouviram do Ipiranga as margens plácidas
De um povo heróico o brado retumbante...”
O sujeito desta afirmação com que se inicia o Hino Nacional é:
a) indeterminado;
b) “um povo heróico”;
c) “as margens plácidas”;
d) “do Ipiranga”;
e) “o brado retumbante”;

07 - “Em Baudelaire, uma cabeleira feminina, em torno da qual o poeta estabelece uma órbita de correspondências, tem vida, cria no leitor um mundo de sugestões eróticas. Em Cesário Verde,
uma rua deserta não se torna mero símbolo da solidão, mas cria em nós uma nostalgia pungente e indecifrável. Talvez, nesses poetas, o despojamento verbal lhes dê capacidade de eles “criarem os seus temas ou discorrerem sobre suas emoções” - o que não se vê no Oaristos, de Eugênio de Castro”
(Carlos Burlamáqui Köpke, sobre a poesia e poetas)
Com base no texto, assinale a única hipótese correta. As afirmações tem vida e cria em nós referem-se respectivamente a:
a) uma cabeleira feminina e uma rua deserta.
b) Baudelaire e Cesário Verde.
c) o poeta e uma rua deserta.
d) o poeta e mero símbolo.
e) uma órbita de correspondência e Cesário Verde.

08 - “Serviu Jacó os primeiros sete anos a Labão”. Na ordem direta:
a) Serviu os primeiros sete anos Jacó a Labão.
b) A Labão serviu os primeiros sete anos Jacó.
c) Os primeiros sete anos serviu Jacó a Labão.
d) Os primeiros sete anos Jacó serviu a Labão.
e) Jacó serviu a Labão os primeiros sete anos.

09 - Qual a alternativa em que há sujeito indeterminado?
a) Comecei a estudar muito tarde para o exame.
b) Em rico estojo de veludo, jazia uma flauta de prata.
c) Soube-se que o proprietário estava doente.
d) Houve muitos feridos no desastre.
e) Julgaram-no incapaz de exercer o cargo.

10 - (UniRio-RJ) Assinale a frase cujo sujeito se classifica do mesmo modo que o da frase “Faz muito calor no Rio o ano inteiro”.
a) Devia haver mais interesse pela boa formação profissional.
b) Falaram muito mal dos estimu- ladores de conflitos.
c) Vive-se bem no clima da montanha.
d) Almejamos dias melhores.
e) Haviam chegado cedo todos os candidatos.

11 - Assinale a alternativa em que há oração sem sujeito:
a) Esperança, haverá sempre.
b) Ninguém trovejou de tanta raiva quanto eu.
c) Haveria desejado ele tudo isso?
d) Alguém havia aberto a porta.
e) Choveu papel picado nas ruas de Curitiba.

12 - (Unirio-RJ) Em “Na mocidade, muitas coisas lhe haviam acontecido”, temos oração:
a) sem sujeito e claro.
b) com sujeito simples e claro.
c) com sujeito oculto.
d) com sujeito composto.
e) com sujeito indeterminado.

13 - “Que há entre a vida e a morte?”
a) O sujeito do verbo haver é o pronome interrogativo que.
b) Tem-se uma oração sem sujeito.
c) O sujeito está oculto.
d) O sujeito é indeterminado.
e) O sujeito é ”a vida e a morte”.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

PARA A TURMA 1003 - CIEP 331

CRIATURINHAS FOFAS, NÃO PRECISA RESPONDER. FAREMOS ISSO EM SALA. 

Não gosta de linguagem popular? Então fale difícil!!!

1. Prosopopéia flácida para acalentar bovinos.
 Conversa mole pra boi dormir.

2. Colóquio sonolento para gado bovino repousar.


3. Romper a face.


4.Creditar o primata.


5.Derrubar com a extremidade do membro inferior, o suporte sustentáculo de uma das unidades de acampamento.

1.      Deglutir o batráquio.


2.      Sequer considerar a utilização de um longo pedaço de madeira.
  

3.      Sequer considerar a possibilidade da fêmea bovina expirar fortes contrações laringo-bucais.


4.      Derramar água pelo chão através do tombamento premeditado de seu recipiente.


5.      Retirar o filhote de eqüino da perturbação pluvial.


6.      Quando o sol está abaixo do horizonte, a totalidade dos animais domésticos da família dos felídeos é de cor mescla entre preto e branco.

7.      A criatura canonizada que vive em nosso próprio lar não é capaz de produzir um efeito extraordinário que vá contra as leis fundamentais da natureza.


8.      De unidade de cereal em unidade de cereal, a ave de crista carnuda, asas curtas e largas, da família das galináceas, abarrota a bolsa que existe nessa espécie por dilatação do esôfago e na qual os alimentos permanecem antes de passarem à moela.


9.      Substância inodora e incolor que já se foi não é mais capaz de comunicar movimento ou ação ao engenho especial de triturar cereais.


10.  Aquele que se deixa prender sentimentalmente por pessoa destituída de dotes físicos de encanto ou graça, acha-a extraordinariamente dotada desses mesmos encantos que os outros lhe não veem.




2. Identifique os elementos do processo de comunicação na situação a seguir:

João escreve uma carta para Maria, sua melhor amiga, após alguns anos sem contato: “Querida amiga, estou com muitas saudades, estive viajando pelo interior do país participando de uma pesquisa muito legal e agora estou retornando a cidade...”

Emissor/remetente: ___________________________________________
Receptor/destinatário: _________________________________________
Mensagem: __________________________________________________
Referente/contexto: ___________________________________________
Canal/contato: _______________________________________________
Código: _____________________________________________________

4. A intolerância lingüística pode ser considerada um exemplo de ruído na comunicação.
Ex.:     Um rapaz pergunta a outro:
            - Você sabe que horas são?
            E o outro responde:
            - Sei.
a)      Pode-se dizer que houve comunicação entre as duas pessoas envolvidas? Justifique.

b)      Quando o primeiro rapaz pergunta se o outro sabia da hora, o que ele esperava de fato?

c)       A resposta do segundo rapaz satisfez o primeiro? Por que?